TROLLEY DE CARGA

A definição de trolley, na língua inglesa, refere-se a veículo que trafega sobre trilhos. Em alguns países, o termo acabou tornando-se sinônimo de bonde eletropropelido. Com o desenvolvimento da tecnologia de pontes rolantes, o conceito migrou para o cursor que trafega sobre as vigas (trilhos) horizontais.

TIPOS DE TROLLEYS DE CARGA

Os Trolleys de carga podem ser mecânicos, servindo de suporte para balancins, viabilizando movimentação de cargas em áreas de produção. Dimensionados de acordo com a proporção do trilho, podem atender a aplicações limitadas entre 5 kg e 5 t. Logicamente, os rodízios, que podem ser de nylon ou aço, mancais, eixos, tudo deve ser dimensionado adequadamente, do mesmo modo que os trilhos, os vãos e toda a estrutura. Quando se trata de trolleys elétricos, além do motor dimensionado de acordo com a carga adequada, o conjunto pode exigir o uso de transmissão redutora de rotação, e de alimentação de tensão, que acompanhe o trolley ao longo do percurso, bem como um sistema de comando, que além da reversão de rotação, possibilite frenagem de estacionamento. Embora um cabo conectado ao painel de comando do motor seja muito prático e direto, um pouco de sofisticação pode incluir um controle remoto acoplado por RF, operante em banda de frequência livre para a finalidade, equipado inclusive com comando de parada emergencial, e que pode abranger não apenas um trolley único, como a ponte rolante na totalidade, o que inclui os balancins. E aproveitando o enlace bidirecional, o sistema pode devolver ao operador dados como posição relativa do trolley, a velocidade desenvolvida, e dados de diagnose de operação e de defeitos.

A motorização pode ser escolhida entre motor trifásico e motor de tensão contínua. No primeiro caso, o controle ideal consiste de inversor de frequência, e no segundo, acionamento tiristorizado.

DETALHES CONSTRUTIVOS

Ambientes industriais tendem a ser imprevisíveis quanto ao fatores de agressão aos equipamentos presentes na atmosfera. Assim, para um trolley de carga, ambientes corrosivos devem ser enfrentados por acabamentos compatíveis, o que pode resultar em chapas tratadas via zincagem ou cromeação. Rolamentos têm de ser blindados e operantes com lubrificação permanente. Outro fator a ser considerado é a inacessibilidade relativa, uma vez que o trolley trabalha suspenso e retido sobre o trilho.

CAPACITAÇÃO

A Norma Regulamentadora (NR 11) trata especificamente de Transporte, Movimentação e Manuseio de carga, o que inclui as pontes rolantes. Em vários parágrafos, cita a necessidade de capacitação ou treinamento no uso do equipamento. Apesar de intuitivas, as pontes rolantes devem ser pilotadas somente por pessoa treinada, sob risco de acidentes graves e prejuízos que podem deixar um departamento, um setor, inativo durante meses. Cabe ao empregador fornecer esse treinamento, cabe ao funcionário exigi-lo, e se recusar a pilotar o equipamento sem estar qualificado para isso.